quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

HootSuite ganha versão em português e terá integração com Orkut

O programa de gerenciamento de mídias sociais HootSuite ganhou nesta terça-feira uma versão em português, tanto na versão web quanto na para dispositivos móveis. 

Em comunicado, a companhia justificou a tradução porque "o Brasil está com tudo no cenário internacional" e "foi apontado recentemente como o 2º maior país do Twitter e a 6ª maior economia mundial". O aplicativo também ganhará, em breve, integração com o Orkut, rede social do Google queridinha dos brasileiros.

"Nós perguntamos aos brasileiros onde e como eles gostariam de interagir nas redes sociais. O que mais escutamos foi Orkut! Sendo assim, decidimos integrar o Orkut ao Diretório de Aplicativos HootSuite", afirma a empresa em comunicado, destacando os "34 milhões de visitantes ao mês no Brasil". A integração com o Orkut, segundo o hootSuite, "está quase pronto", e os usuários podem registrar-se para saber quando entrará no ar.


O HootSuite é um aplicativo que permite agendar as publicações em redes sociais para quando for conveniente, assim como salvar rascunhos de mensagens padrões, gerenciamento múltiplo de contas, além de poder medir o sucesso de campanhas nas redes sociais.

O aplicativo está disponível nos planos Basic (gratuito) ou Pro (a partir de US$5,99 ao mês) e Enterprise. Entre aqui para poder atualizar suas contas do Orkut, Facebook, Twitter, LinkedIn, entre outras redes sociais integradas.


Para alterar o idioma, vá na seção na parte de baixo da tela inicial e selecione Português (Brasil).
Fonte: Terra

HootSuite ganha versão em português e terá integração com Orkut

O programa de gerenciamento de mídias sociais HootSuite ganhou nesta terça-feira uma versão em português, tanto na versão web quanto na para dispositivos móveis. 

Em comunicado, a companhia justificou a tradução porque "o Brasil está com tudo no cenário internacional" e "foi apontado recentemente como o 2º maior país do Twitter e a 6ª maior economia mundial". O aplicativo também ganhará, em breve, integração com o Orkut, rede social do Google queridinha dos brasileiros.

"Nós perguntamos aos brasileiros onde e como eles gostariam de interagir nas redes sociais. O que mais escutamos foi Orkut! Sendo assim, decidimos integrar o Orkut ao Diretório de Aplicativos HootSuite", afirma a empresa em comunicado, destacando os "34 milhões de visitantes ao mês no Brasil". A integração com o Orkut, segundo o hootSuite, "está quase pronto", e os usuários podem registrar-se para saber quando entrará no ar.


O HootSuite é um aplicativo que permite agendar as publicações em redes sociais para quando for conveniente, assim como salvar rascunhos de mensagens padrões, gerenciamento múltiplo de contas, além de poder medir o sucesso de campanhas nas redes sociais.

O aplicativo está disponível nos planos Basic (gratuito) ou Pro (a partir de US$5,99 ao mês) e Enterprise. Entre aqui para poder atualizar suas contas do Orkut, Facebook, Twitter, LinkedIn, entre outras redes sociais integradas.


Para alterar o idioma, vá na seção na parte de baixo da tela inicial e selecione Português (Brasil).
Fonte: Terra

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Microsoft mostra tecnologia Illumishare e surpreende mundo digital

Tecnologia IllumiShare permite que as pessoas em diferentes locais possam compartilhar  objetos reais ou digitais em uma superfície. 

O aparelho é um dispositivo de baixo custo que se parece uma luminária de mesa, e como uma luminária, quando ligado, ilumina uma superfície na qual ele é direcionado, fazendo com que as ações feitas nessa superfície iluminada pelo IllumiShare sejam compartilhadas com outras pessoas via internet.

Para fazer isso, IllumiShare usa um conjunto com câmara e projetor, onde a câmara captura de vídeo da área de trabalho e o envia para o outro local onde projeta sobre a mesma área iluminada pelo dispositivo. Da mesma forma, a área remota captura e envia a área de trabalho simulando a interação real entre as duas pessoas.





O Illumishare permite que pessoas localizadas a quilômetros de distância uma da outra trabalhem de maneira conjunta em um desenho, ou simplesmente participem de um jogo de cartas. A demonstração também mostra que a tecnologia pode ser usada para facilitar o ensino à distância — enquanto o aluno preenche as respostas de um exercício, o professor pode corrigí-las em tempo real.






Veja o vídeo com a demonstração dessa nova tecnologia surpreendente da Microsoft: ILLUMISHARE (em inglês)

Microsoft mostra tecnologia Illumishare e surpreende mundo digital

Tecnologia IllumiShare permite que as pessoas em diferentes locais possam compartilhar  objetos reais ou digitais em uma superfície. 

O aparelho é um dispositivo de baixo custo que se parece uma luminária de mesa, e como uma luminária, quando ligado, ilumina uma superfície na qual ele é direcionado, fazendo com que as ações feitas nessa superfície iluminada pelo IllumiShare sejam compartilhadas com outras pessoas via internet.

Para fazer isso, IllumiShare usa um conjunto com câmara e projetor, onde a câmara captura de vídeo da área de trabalho e o envia para o outro local onde projeta sobre a mesma área iluminada pelo dispositivo. Da mesma forma, a área remota captura e envia a área de trabalho simulando a interação real entre as duas pessoas.





O Illumishare permite que pessoas localizadas a quilômetros de distância uma da outra trabalhem de maneira conjunta em um desenho, ou simplesmente participem de um jogo de cartas. A demonstração também mostra que a tecnologia pode ser usada para facilitar o ensino à distância — enquanto o aluno preenche as respostas de um exercício, o professor pode corrigí-las em tempo real.






Veja o vídeo com a demonstração dessa nova tecnologia surpreendente da Microsoft: ILLUMISHARE (em inglês)

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Falha na censura faz chineses invadirem o Google+


Normalmente indisponível para os internautas chineses por conta dos rigorosos mecanismos de censura, o Google+ se viu invadido por usuários do país nos últimos dias. 

Os chineses aproveitaram uma falha no “Great Firewall”, sistema de censura local, para deixar mensagens no perfil do presidente norte-americano Barack Obama.

O conteúdo das mensagens diziam respeito da situação dos direitos humanos em território chinês. “Nós invejamos a democracia e a liberdade do povo americano”, afirmava um dos textos. Em outras mensagens, os usuários pedem que Obama “liberte” o país.

Não é possível saber ainda se todos os comentários foram escritos de dentro do território chinês, mas boa parte das mensagens está redigida em caracteres simplificados do mandarim, idioma comum ao continente, e não à Hong Kong.

Usuários deixaram comentários amargos sobre os direitos humanos em seu país: "invejamos liberdade dos americano"


Visite a página de Barack Obama no Google+.

Falha na censura faz chineses invadirem o Google+


Normalmente indisponível para os internautas chineses por conta dos rigorosos mecanismos de censura, o Google+ se viu invadido por usuários do país nos últimos dias. 

Os chineses aproveitaram uma falha no “Great Firewall”, sistema de censura local, para deixar mensagens no perfil do presidente norte-americano Barack Obama.

O conteúdo das mensagens diziam respeito da situação dos direitos humanos em território chinês. “Nós invejamos a democracia e a liberdade do povo americano”, afirmava um dos textos. Em outras mensagens, os usuários pedem que Obama “liberte” o país.

Não é possível saber ainda se todos os comentários foram escritos de dentro do território chinês, mas boa parte das mensagens está redigida em caracteres simplificados do mandarim, idioma comum ao continente, e não à Hong Kong.

Usuários deixaram comentários amargos sobre os direitos humanos em seu país: "invejamos liberdade dos americano"


Visite a página de Barack Obama no Google+.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Como apagar o seu histórico de navegação na web antes da vigência da nova Política de Privacidade da Google


Com menos de uma semana antes das alterações da Política de Privacidade da Google entrarem em vigor, que permite coletar, armazenar e usar as informações de navegações pessoais, os usuários têm uma última chance para apagar seu histórico de navegação da Conta Google.

Uma vez que a nova Política Unificada de Privacidade do Google entre em vigor, todos os dados já coletada sobre você, incluindo pesquisas, sites visitados, idade, sexo e localização serão recolhidos e atribuídos ao seu perfil on-line representado pelo seu Gmail e contas do YouTube. 

Depois que a Política entre em vigor, não estão permitido evitar isso sem abandonar completamente a sua Conta Google. Mas agora antes do início de vigência da nova Política, você tem a opção de excluir o seu histórico da web da sua Conta Google, modificando suas configurações para que o Google não seja capaz de associar os dados coletados sobre você com o seu Gmail ou contas do YouTube.

Electronic Frontier Foundation (EFF), uma organização sem fins lucrativos baseada em San Francisco, que defende a privacidade online, diz: "Os dados da pesquisa podem revelar informações particularmente sensíveis sobre você, incluindo fatos sobre sua localização, interesses, idade, orientação sexual, religião, questões de saúde, e muito mais.". Por esse motivo a EFF aconselha que todos os usuários Google apaguem seus históricos da web antes do início de vigência da nova política.

A exclusão de seu histórico de navegação antes de primeiro de março, quando a nova Política de Privacidade da Google entra em vigor vai limitar a capacidade do Google em monitorar e registrar a sua navegação na Web. 

O processo é simples. Siga os passos abaixo:
  1. Vá na página inicial do Google e acessar sua conta.
  2. Clique no menu suspenso ao lado de seu nome no canto superior direito da tela.
  3. Clique em Configurações da contas
  4. Encontre a seção "Serviços"
  5. Em "Serviços", há uma sub-seção que diz "Veja, ative ou desative o Histórico da web." Clique no link ao lado dele que diz: "Acessar o Histórico da web" (Nota: caso necessário, informe a senha da sua conta Google e faça login no Histórido da web)
  6. Clique em "Remover tudo Histórico da web". Quando você clicar em "Remover tudo Histórico da web", aparece uma mensagem que diz "O Histórico da Web está pausado" O que isto significa é que, a Google vai continuar a recolher e armazenar informações sobre seu histórico da web, mas ele vai fazer todos os dados anónimos, ou seja, a Google não irá associar a sua informação de Histórico da Web com as suas contas online e será, portanto, incapaz de lhe enviar os resultados da pesquisa personalizados 

A possibilidade da Google coletar informações personalizadas sobre você através da atribuição dos dados de navegação com o Gmail e o  YouTube continuará "pausada" até que você clique em "Retornar" nesta página do Histórico da Web. 

A decisão é sua.

Como apagar o seu histórico de navegação na web antes da vigência da nova Política de Privacidade da Google


Com menos de uma semana antes das alterações da Política de Privacidade da Google entrarem em vigor, que permite coletar, armazenar e usar as informações de navegações pessoais, os usuários têm uma última chance para apagar seu histórico de navegação da Conta Google.

Uma vez que a nova Política Unificada de Privacidade do Google entre em vigor, todos os dados já coletada sobre você, incluindo pesquisas, sites visitados, idade, sexo e localização serão recolhidos e atribuídos ao seu perfil on-line representado pelo seu Gmail e contas do YouTube. 

Depois que a Política entre em vigor, não estão permitido evitar isso sem abandonar completamente a sua Conta Google. Mas agora antes do início de vigência da nova Política, você tem a opção de excluir o seu histórico da web da sua Conta Google, modificando suas configurações para que o Google não seja capaz de associar os dados coletados sobre você com o seu Gmail ou contas do YouTube.

Electronic Frontier Foundation (EFF), uma organização sem fins lucrativos baseada em San Francisco, que defende a privacidade online, diz: "Os dados da pesquisa podem revelar informações particularmente sensíveis sobre você, incluindo fatos sobre sua localização, interesses, idade, orientação sexual, religião, questões de saúde, e muito mais.". Por esse motivo a EFF aconselha que todos os usuários Google apaguem seus históricos da web antes do início de vigência da nova política.

A exclusão de seu histórico de navegação antes de primeiro de março, quando a nova Política de Privacidade da Google entra em vigor vai limitar a capacidade do Google em monitorar e registrar a sua navegação na Web. 

O processo é simples. Siga os passos abaixo:
  1. Vá na página inicial do Google e acessar sua conta.
  2. Clique no menu suspenso ao lado de seu nome no canto superior direito da tela.
  3. Clique em Configurações da contas
  4. Encontre a seção "Serviços"
  5. Em "Serviços", há uma sub-seção que diz "Veja, ative ou desative o Histórico da web." Clique no link ao lado dele que diz: "Acessar o Histórico da web" (Nota: caso necessário, informe a senha da sua conta Google e faça login no Histórido da web)
  6. Clique em "Remover tudo Histórico da web". Quando você clicar em "Remover tudo Histórico da web", aparece uma mensagem que diz "O Histórico da Web está pausado" O que isto significa é que, a Google vai continuar a recolher e armazenar informações sobre seu histórico da web, mas ele vai fazer todos os dados anónimos, ou seja, a Google não irá associar a sua informação de Histórico da Web com as suas contas online e será, portanto, incapaz de lhe enviar os resultados da pesquisa personalizados 

A possibilidade da Google coletar informações personalizadas sobre você através da atribuição dos dados de navegação com o Gmail e o  YouTube continuará "pausada" até que você clique em "Retornar" nesta página do Histórico da Web. 

A decisão é sua.

Página do Coldplay é a primeira a ultrapassar a marca de 1 milhão de seguidores no Google+


Enquanto Britney Spears possui o primeiro perfil pessoal a ultrapassar a marca de 2 milhões de seguidores no Google+, quando se trata de Páginas no Google+, essa honra coube à banda britânica de rock Coldplay.

De acordo com ZoomSphere, um site de estatísticas de mídia social, a Página do Coldplay foi a primeira a ultrapassar a marca de 1 milhão de seguidores no Google+.



Desde o final de janeiro, a Página do Coldplay quase duplicou o número de seguidores com  um significativo crescimento no mês passado.


Em outras redes sociais, o Coldplay tem 5,8 milhões de seguidores no Twitter, mas está bem distante dos Top 10 do Twitter, com Lady Gaga na liderança com mais de 19 milhões de seguidores. No Facebook, a página oficial do Coldplay tem 18 milhões de seguidores, mas também não aparece na lista Top 10.

Depois do Colplay na lista dos Top 10 entre as Página do Google+ tem outra banda, do Red Hot Chili Pepper, com quase 800.000 seguidores, seguidos por Pearl Jam, 106 and Park, Team Coco, ESPN, Sugarland, Barcelona FC, Train e Chelsea Football Club.

É interessante que, das 10 Top Páginas do Google+, quatro delas são bandas e todas se encaixam no gênero banda de rock alternativo, e além disso, não aparece nenhuma Página Oficial da Google, ou qualquer outra Página  remotamente relacionada à Tecnologia. A Página oficial da Google tem pouco mais de 170.000 seguidores, enquanto a Página Oficial do Google+ tem pouco mais de 140.000.

Disponibilizadas a partir de novembro, as Páginas no Google+ têm apresentado crescimento em um ritmo impressionante, superando em quatro vezes o crescimento das mesmas marcas no Twitter, mas mesmo assim o número de seguidores estão ainda bem abaixo dos apresentados no Facebook.

Curtam a música Paradise do Coldplay:


Fonte: TheNextWeb

Página do Coldplay é a primeira a ultrapassar a marca de 1 milhão de seguidores no Google+


Enquanto Britney Spears possui o primeiro perfil pessoal a ultrapassar a marca de 2 milhões de seguidores no Google+, quando se trata de Páginas no Google+, essa honra coube à banda britânica de rock Coldplay.

De acordo com ZoomSphere, um site de estatísticas de mídia social, a Página do Coldplay foi a primeira a ultrapassar a marca de 1 milhão de seguidores no Google+.



Desde o final de janeiro, a Página do Coldplay quase duplicou o número de seguidores com  um significativo crescimento no mês passado.


Em outras redes sociais, o Coldplay tem 5,8 milhões de seguidores no Twitter, mas está bem distante dos Top 10 do Twitter, com Lady Gaga na liderança com mais de 19 milhões de seguidores. No Facebook, a página oficial do Coldplay tem 18 milhões de seguidores, mas também não aparece na lista Top 10.

Depois do Colplay na lista dos Top 10 entre as Página do Google+ tem outra banda, do Red Hot Chili Pepper, com quase 800.000 seguidores, seguidos por Pearl Jam, 106 and Park, Team Coco, ESPN, Sugarland, Barcelona FC, Train e Chelsea Football Club.

É interessante que, das 10 Top Páginas do Google+, quatro delas são bandas e todas se encaixam no gênero banda de rock alternativo, e além disso, não aparece nenhuma Página Oficial da Google, ou qualquer outra Página  remotamente relacionada à Tecnologia. A Página oficial da Google tem pouco mais de 170.000 seguidores, enquanto a Página Oficial do Google+ tem pouco mais de 140.000.

Disponibilizadas a partir de novembro, as Páginas no Google+ têm apresentado crescimento em um ritmo impressionante, superando em quatro vezes o crescimento das mesmas marcas no Twitter, mas mesmo assim o número de seguidores estão ainda bem abaixo dos apresentados no Facebook.

Curtam a música Paradise do Coldplay:


Fonte: TheNextWeb

Agende o envio de mensagens pelo Gmail


Uma funcionalidade que muitos gostariam de ver como oficial e integrada no GMail é a de poder agendar o envio de e-mails para mais tarde. 

Atualmente, isso somente é possível no Gmail utilizando serviços de terceiros. Um a opção simples mas bem completa é o Right Inbox, uma extensão para Firefox 3.6+ e Google Chrome 5.0+. Em breve será disponibilizada também para o Safari.

Após instalada a extensão e concedida permissão de acesso no Gmail, já é possível escrever uma nova mensagem no Gmail, onde estará disponível o novo botão “Send Later” (Envie mais tarde). 

Ao clicarmos neste botão, serão abertas algumas opções para o envio da mensagem (em uma hora, em duas horas, em quatro horas, amanhã de manhã, amanhã à tarde), e também a opção de estabelecer uma data específica à escolha do usuário. 

As mensagens agendadas para o envio podem ser acessadas na pasta Rascunhos, onde podem ser alteradas, inclusive com a alteração do reagendamento de envio, ou até mesmo excluídas antes do envio.

A extensão pode ser instalada gratuitamente e a empresa desenvolvedora informa que no futuro poderão vir a cobrar pelo seu uso, mas sempre serão disponibilizadas versões gratuitas.

Para instalar a extensão, visite o site oficial AQUI e clique no botão Install Now.

Veja abaixo um vídeo demonstrativo (em inglês):

Agende o envio de mensagens pelo Gmail


Uma funcionalidade que muitos gostariam de ver como oficial e integrada no GMail é a de poder agendar o envio de e-mails para mais tarde. 

Atualmente, isso somente é possível no Gmail utilizando serviços de terceiros. Um a opção simples mas bem completa é o Right Inbox, uma extensão para Firefox 3.6+ e Google Chrome 5.0+. Em breve será disponibilizada também para o Safari.

Após instalada a extensão e concedida permissão de acesso no Gmail, já é possível escrever uma nova mensagem no Gmail, onde estará disponível o novo botão “Send Later” (Envie mais tarde). 

Ao clicarmos neste botão, serão abertas algumas opções para o envio da mensagem (em uma hora, em duas horas, em quatro horas, amanhã de manhã, amanhã à tarde), e também a opção de estabelecer uma data específica à escolha do usuário. 

As mensagens agendadas para o envio podem ser acessadas na pasta Rascunhos, onde podem ser alteradas, inclusive com a alteração do reagendamento de envio, ou até mesmo excluídas antes do envio.

A extensão pode ser instalada gratuitamente e a empresa desenvolvedora informa que no futuro poderão vir a cobrar pelo seu uso, mas sempre serão disponibilizadas versões gratuitas.

Para instalar a extensão, visite o site oficial AQUI e clique no botão Install Now.

Veja abaixo um vídeo demonstrativo (em inglês):

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Chrome terá botão "Não rastrear" (Do Not Track) para evitar cookies de rastreamento


Recurso "Do Not Track" permite que usuário informe aos sites que não deseja receber cookies de rastreamento.

A Google irá adicionar um botão “Do Not Track” (Não rastrear, em tradução livre) no Chrome até o fim deste ano. A decisão é uma reviravolta para a empresa, que sempre foi relutante em apoiar tecnologias que permitissem aos usuários optarem por desativar o rastreamento online feito por sites e anunciantes. 

Essa mudança de postura aconteceu depois que a Casa Branca apresentou um projeto de lei em relação aos direitos de privacidade e afirmou que deve apresentar uma nova legislação de privacidade online ao Congresso. 

Com isso, o Chrome se junta a outros browsers (como o Internet Explorer 9 e o Firefox) que já transmitem informações especiais a cada página HTTP visitada, avisando os sites de que o usuário não deseja ser rastreado. O Safari, navegador da Apple, não deixa essa opção muito clara, pois para ativá-la o usuário precisa selecionar a opção “Send Do Not Track HTTP Header” a partir do menu de Desenvolvedor do browser. A Apple pretende tornar essa opção mais simples de ser encontrada com o lançamento do Mountain Lion, previsto para o meio do ano, enquanto que o Opera ainda não suporta o recurso de forma nativa. 

“Este é um grande passo à frente” disse Jonathan Mayer, estudante da Standford University e um dos principais pesquisadores da instituição que trabalham na tecnologia anti-rastreamento, que utiliza informações no HTTP para desviar do rastreamento online. “Por muito tempo, o Google foi o último entre os maiores navegadores que continuava resistindo”. 

O Google e outros membros da DDA (Aliança da Publicidade Digital, em tradução livre) se comprometeram a oferecer suporte à tecnologia em seus sites, entretanto não ficou claro o que o “Não Rastrear” significa para as companhias e websites que irão interpretar o pedido do usuário para não ser rastreado. “Há duas partes: a primeira é a tecnologia, entretanto a segundo é o que ela significa àqueles que a apoiam, o que as empresas farão com isso” explicou Mayer. “É uma vitória ambígua para a tecnologia, porém em relação às políticas há muito a ser feito ainda”. 

De acordo com o estudante, os membros da DDA não concordaram que de fato não irão rastrear seus usuários, mas sim em não expedirem anúncios direcionados a partir de dados coletados por cookies de rastreamento, mecanismo que monitora os movimentos de uma pessoa entre um site e outro. 

“Grandes anunciantes da DDA [se comprometeram] a responder ao recurso de ‘Não Rastrear’, porém como será essa resposta ainda não fico claro, e temos outras preocupações para resolver” escreveu Alex Fowler, representante do setor de privacidade global de privacidade e políticas públicas da Mozilla em um post. Ambos especialistas salientaram que a discussão deve continuar durante o W3C (World Wide Web Consortium), evento no qual devem ser criadas políticas-padrão para toda indústria em relação às diretrizes do “Não Rastrear”

Fonte: IDGNow

Chrome terá botão "Não rastrear" (Do Not Track) para evitar cookies de rastreamento


Recurso "Do Not Track" permite que usuário informe aos sites que não deseja receber cookies de rastreamento.

A Google irá adicionar um botão “Do Not Track” (Não rastrear, em tradução livre) no Chrome até o fim deste ano. A decisão é uma reviravolta para a empresa, que sempre foi relutante em apoiar tecnologias que permitissem aos usuários optarem por desativar o rastreamento online feito por sites e anunciantes. 

Essa mudança de postura aconteceu depois que a Casa Branca apresentou um projeto de lei em relação aos direitos de privacidade e afirmou que deve apresentar uma nova legislação de privacidade online ao Congresso. 

Com isso, o Chrome se junta a outros browsers (como o Internet Explorer 9 e o Firefox) que já transmitem informações especiais a cada página HTTP visitada, avisando os sites de que o usuário não deseja ser rastreado. O Safari, navegador da Apple, não deixa essa opção muito clara, pois para ativá-la o usuário precisa selecionar a opção “Send Do Not Track HTTP Header” a partir do menu de Desenvolvedor do browser. A Apple pretende tornar essa opção mais simples de ser encontrada com o lançamento do Mountain Lion, previsto para o meio do ano, enquanto que o Opera ainda não suporta o recurso de forma nativa. 

“Este é um grande passo à frente” disse Jonathan Mayer, estudante da Standford University e um dos principais pesquisadores da instituição que trabalham na tecnologia anti-rastreamento, que utiliza informações no HTTP para desviar do rastreamento online. “Por muito tempo, o Google foi o último entre os maiores navegadores que continuava resistindo”. 

O Google e outros membros da DDA (Aliança da Publicidade Digital, em tradução livre) se comprometeram a oferecer suporte à tecnologia em seus sites, entretanto não ficou claro o que o “Não Rastrear” significa para as companhias e websites que irão interpretar o pedido do usuário para não ser rastreado. “Há duas partes: a primeira é a tecnologia, entretanto a segundo é o que ela significa àqueles que a apoiam, o que as empresas farão com isso” explicou Mayer. “É uma vitória ambígua para a tecnologia, porém em relação às políticas há muito a ser feito ainda”. 

De acordo com o estudante, os membros da DDA não concordaram que de fato não irão rastrear seus usuários, mas sim em não expedirem anúncios direcionados a partir de dados coletados por cookies de rastreamento, mecanismo que monitora os movimentos de uma pessoa entre um site e outro. 

“Grandes anunciantes da DDA [se comprometeram] a responder ao recurso de ‘Não Rastrear’, porém como será essa resposta ainda não fico claro, e temos outras preocupações para resolver” escreveu Alex Fowler, representante do setor de privacidade global de privacidade e políticas públicas da Mozilla em um post. Ambos especialistas salientaram que a discussão deve continuar durante o W3C (World Wide Web Consortium), evento no qual devem ser criadas políticas-padrão para toda indústria em relação às diretrizes do “Não Rastrear”

Fonte: IDGNow

Google leva Street View para Grande Barreira de Corais na Austrália


Depois de mostrar as ruas de diversas cidades com imagens  360 graus, a Google vai levar a aplicação Street View para debaixo de água. O próximo passo é adaptar o serviço à bela Grande Barreira de Corais australiana

A iniciativa faz parte de um projecto denominado Catlin Seaview Survey e reúne os esforços da gigante da Internet, da Universidade de Queensland e da Underwater Earth, uma organização não governamental especializada na defesa do ambiente.
O objetivo do projeto é apresentar ao mundo imagens da Grande Barreira de Corais, semelhantes às do Street View, que mostrem os efeitos das alterações climáticas naquela região subaquática.
Ao mesmo tempo, a coleta das imagens irá também ajudar os cientistas estudarem estas alterações na Grande Barreira de Corais australiana, considerada uma das áreas com uma maior diversidade biológica no planeta Terra.
A coleta de imagens vai ser feita com a ajuda de mergulhadores que levarão para debaixo de água câmaras especiais, que permitem captar fotografias a 360 graus, com informação georreferenciada, a cada 4-6 segundos.
Já nas áreas mais profundas, as fotografias vão ser captadas com a utilização de submarinos equipados com câmaras de alta definição.
O resultado final deverá ficar disponível aos internautas somente a partir de Setembro, apesar de já ser possível visualizar algumas imagens on-line.
Caso o projeto tenha sucesso, a iniciativa poderá ser levada para outras regiões do globo terrestre. 
Veja abaixo algumas imagens do site:

Google leva Street View para Grande Barreira de Corais na Austrália


Depois de mostrar as ruas de diversas cidades com imagens  360 graus, a Google vai levar a aplicação Street View para debaixo de água. O próximo passo é adaptar o serviço à bela Grande Barreira de Corais australiana

A iniciativa faz parte de um projecto denominado Catlin Seaview Survey e reúne os esforços da gigante da Internet, da Universidade de Queensland e da Underwater Earth, uma organização não governamental especializada na defesa do ambiente.
O objetivo do projeto é apresentar ao mundo imagens da Grande Barreira de Corais, semelhantes às do Street View, que mostrem os efeitos das alterações climáticas naquela região subaquática.
Ao mesmo tempo, a coleta das imagens irá também ajudar os cientistas estudarem estas alterações na Grande Barreira de Corais australiana, considerada uma das áreas com uma maior diversidade biológica no planeta Terra.
A coleta de imagens vai ser feita com a ajuda de mergulhadores que levarão para debaixo de água câmaras especiais, que permitem captar fotografias a 360 graus, com informação georreferenciada, a cada 4-6 segundos.
Já nas áreas mais profundas, as fotografias vão ser captadas com a utilização de submarinos equipados com câmaras de alta definição.
O resultado final deverá ficar disponível aos internautas somente a partir de Setembro, apesar de já ser possível visualizar algumas imagens on-line.
Caso o projeto tenha sucesso, a iniciativa poderá ser levada para outras regiões do globo terrestre. 
Veja abaixo algumas imagens do site:

Britney Spears é a primeira a superar 2 milhões de seguidores no Google+



Não contente em ser a primeira pessoa a acumular um milhão de seguidores no Google+, a pop star Britney Spears tem demonstrado que o Google+ não é apenas para os amantes da Tecnologia, e se torna a primeira pessoa a quebrar a marca de 2 milhões de seguidodores no Google+.

Britney atingiu a nova marca pouco mais de dois meses após ter atingido 1 milhão de seguidores. Fazendo as contas, ela foi a adicionada a um ritmo impressionante de cerca de 30.000 novos seguidores a cada dia.

Apesar de ter atingido esta nova marca, Britney ainda está longe de alcançar as marcas do Facebook (17,3 milhões de fãs) e Twitter (13,2 milhões de seguidores), Ela tem compartilhado muitas vezes as atualizações nas três plataformas. Mas aqueles que esperam para fazer um conferência em video com o cantora ainda não foram atendidos, pois a cantora não participou de nenhum hangout no Google+ até o momento.

O engajamento de Britney Spears com constantes atualizações no Google+ tem atraído números impressionantes de seguidores. Além disso, a própria Britney segue mais de 4.000  usuários.

Os níveis de engajamento dos seus fãs no serviço é particularmente notável. Seus posts, em média, mais de 100 comentários, mais de 300 marcações com o botão +1  e 25 re-compartilhamentos, como as estatísticas mostram do site Allmyplus.

Atualizações de  Britney Spears  que mostram a sua vida de vários ângulos, como o abaixo que mostra dois de seus filhos se divertindo no Dia dos Namorados, são uma razão importante para sua popularidade no Google+.



Visite o aqui perfil de Britney Spears no Google+.

Google vai participar do desfile das campeãs na Sapucaí com Street View



A Google anunciou nesta sexta-feira (24) que vai capturar imagens da Marquês de Sapucaí para o serviço Street View durante o Desfile das Campeãs do carnaval carioca, neste sábado (25).
Ao acessar o Google Maps, o Street View permite fazer um passeio virtual por meio de fotos panorâmicas. Para capturar as imagens, o Google usará um triciclo com câmeras acopladas no topo, já usado, inclusive, no Amazonas, em 2011.
Conforme a assessoria de imprensa do Google, o triciclo vai começar a percorrer a Avenida às 21h, no final do desfile da Portela. A ideia é que o veículo faça o mapeamento entre um desfile e outro, capturando imagens do Sambódromo e do público na arquibancada. Porém, também é possível que os desfiles sejam incluídos no material.
Não há previsão de quando as imagens da Sapucaí serão lançadas on-line. Conforme o Google, o Street View na Região Sul do Brasil demorou três meses para ficar pronto após a captura das imagens. Porém, normalmente, o processo de edição das fotos leva seis meses para ser finalizado.Fiquem de olho

Fiquem de olho para ver o trike do Google Street View passando neste sábado atrás de sua escola de samba favorita!! 

'Street View Gallery'

As fotos panorâmicas da Sapucaí serão lançadas em uma coleção do Google que mapeia lugares turísticos no mundo. Além do Sambódromo, a companhia planeja mapear o Parque do Ibirapuera, em São Paulo, e a Ópera de Arame, em Curitiba.
O serviço do Google Maps, chamado “Google Street View Gallery” (acesse aqui), reúne galerias que possibilitam fazer viagens virtuais para lugares como parques de todo o mundo, pontos de referência, praias do Havaí e lugares turísticos.

Fonte: G1 e Google Blog

Como tornar o Gmail o aplicativo de e-mail padrão no seu navegador?


Sabe aqueles links que você encontra em sites para enviar resposta por email, o chamado Mailto:? Normalmente quando se clica ali, é aberta a janela do programa Outlook. Para quem usa o Gmail pelo navegador, isso é uma chateação, pois normalmente essas pessoas não utilizam o Outlook e nem precisam cadastrar suas contas do Gmail nesse aplicativo. 


Para resovler essa questão, veja o tutorial abaixo feito pela equipe do Techtudo e veja como fazer o navegador entender que você quer enviar e-mails usando o Gmail, sem que para isso seja necessário instalar outro aplicativo.


No Chrome
Passo 1. Abra o Gmail no Chrome (deve ser feito na janela do Gmail);
Passo 2.  Pressione Ctrl + Shift +J (Windows) ou Cmd + Opt +J (Mac) para abrir o editor nativo de JavaScript do Chrome;
Passo 3. Cole o seguinte texto: 
  1. navigator.registerProtocolHandler("mailto",
                                      "https://mail.google.com/mail/?extsrc=mailto&url=%s",
                                      "Gmail");
 no editor e pressione Enter. 
Como fazer o Gmail abrir links “mailto:” no navegadorComo tornar o Gmail o aplicativo de e-mail padrão?(Foto: Reprodução)
Passo 4. O Chrome vai perguntar se você permite que o Gmail abra todos os links para emails. Clique no botão “Use Gmail”. Pronto! 
Para testar se funcionou, clique neste link de mailto: e deverá ser aberta janela com uma  nova mensagem para ser enviada pelo no Gmail.


No Firefox
No Firefox, este recurso já existe há mais tempo. Mas existe uma maneira mais fácil de fazer a mesma coisa. Abra "Opções", clique na aba "Aplicativos" e localize o tipo de conteúdo “Mailto”. No menu dropdown da coluna "Ação", selecione “Abrir com o Gmail” e clique em "Ok".
Como fazer o Gmail abrir links “mailto:” no navegadorComo tornar o Gmail o aplicativo de e-mail padrão? (Foto: Reprodução)
Via TechTudo